segunda-feira, 26 de abril de 2010

Cotas: facilidade ou limitação?

Não sou a favor das cotas nas univercidades para negros. Entendo tudo o que nossos antepassados sofreram e toda nossa história de luta para podermos alcançar um reconhecimento e todos os nossos direitos de cidadãos. Lá no início, na época da escravidão, os dominadores defendiam a idéia de que éramos ignorantes, bárbaros, incapazes de aprender, de ter educação....enfim, quase animais. Ou seja, éramos então inferiores intelectualmente, da mesma forma que os outros animais. Aceitar as cotas para negros não seria então concordar com aquela tese absura e preconceituosa? A discriminação exite ainda hoje.Isso infelizmente é fato.Mas temos a consciência de que não é nossa cor que limita nossa capacidade intelectual.O que limita é sim o acesso que temos ou não a educação. Eu sou negra e estudei toda minha vida em colégio particular, depois em escola técnica. Seria justo eu utilizar o sistema de cotas? Minha opção foi a de não usar, mas está a minha disposição caso queira. Concordo com os que chamam esse sistema de "tapa buraco", pois é uma forma de tentar concertar o erro na metade do caminho. Mas como qualquer "tapa buracos" é um sistema frágil, que na sua maioria falha. De que adianta um jovem ingressar na universidade e não ter a mínima base intelectual para se manter nela? Ou para que iniciar se mesmo que se esforce, e corra por si só atrás do tempo perdido, não tenha como se manter no ensino superior, porque mesmo sem mensalidades, existem livros, apostilas, passagem e outras demandas básicas para se cursar a faculdade?
Dar oportunidade não significa jogar alunos que não estão preparados dentro de uma realidade acadêmica, que é bem diferente de ensino médio, para se "desculpar" por atrocidades cometidas em séculos passados, ou recompensá-los por terem tido uma infância pobre, ou uma educação de base ruim.
Por outro lado em alguns momentos acho ingenuidade dizer que a solução está só na educação de base. As mudanças no nosso país não são simples e temos milhares de jovens que já passaram dessa fase e ainda precisam estudar, precisam ter o nível superior para ter qualidade de vida. Gostaria muito de poder sozinha definir aqui uma solução precisa, mas não posso. Enfim o que penso é que ela não está numa ação de dar o peixe a quem não sabe pescar e nem vai ter como cozinhá-lo depois.