terça-feira, 25 de novembro de 2014

Nasce menina, nasce!

Menina não nasce! Não nasce não.
Que o mundo né bom pra preta não.
Menina não cresce! Não cresce não.
Que o mundo tem pena de preta não.

Fica aqui menina, que eu acho que eles ainda não tão prontos pra você.
Eu não sei se eles vão saber te receber.
Talvez eles te olhem e não te vejam porque não querem ver.
Pode ser que eles te achem boa e te levem pro meio deles.
Mas vão te fazer tão diferente deles e tão diferente dos teus que você não vai mais ter lado algum.
Você vai se sentir tão sozinha que vai parecer que o chão do mundo não é firme pros seus pés.
E enquanto você não enxergar que não tá em lugar algum vai ficar andando em barbante com ponta amarrada no vento.
E você vai caminhar, mas vai ver tanto caminho. Tanto caminho que não te liga, que não te leva.
Tanto caminho que te enfraquece, que te entristece.
Não nasce minha menina que eles vão querer te pegar pra eles, pra te jogar no nada.
E se você não aceitar minha menina pode ser pior.
Se um dia você acordar e se ver, e realmente se ver, eles não vão aceitar.
Vão te chamar de ingrata, vão parar de fingir que não te veêm como te veêm.
E você não vai ver mais tantos caminhos que não te carregam.
Você vai ter que andar por caminhos que não via, que ninguém te vê.
Você vai ter que andar por você pra pegar a estrada do mundo de novo.
Você vai ter que enfraquecer até cair pra poder levantar.
Você vai ficar totalmente sozinha.
E só então vai poder enxergar as mãos que vão te ajudar.
Pera menina! Não vem agora!!
Ainda tem gente que tá aqui tentando ajeitar pra você.
Tem gente que cai, se arrebenta, se rasga inteiro, se parte em almas pra você chegar melhor.
Tem espírito no mundo que se partiu em pedaços e se escondeu em um monte de peito pra guardar você.
Tem pé que se esfola, que se abre, que sangra, mas não pára de caminhar pra te abrir passagem.
Tem garganta que seca de gritar pra quando você chegar todo mundo te ouvir.
Tem ouvido que se machuca e fica em carne viva de maldade que escuta pra que não chegue a você.
Tem peito que dói, que tá ferido, que quase pàra de bater, mas que move energia de um mundo pra te carregar quando você vier.
Tem olho que chora de tanta ruindade que vê e que tenta ver tudo, pra poder só mostrar coisa bonita quando você acordar.
Tem braço que carrega o peso do mundo, pra você vir leve, sem culpa e sem medo.
Ai menina! Você não me escuta!!
Ahhh!
Você quer vir por eles?
Então venha menina.
Nasça pra trazer paz pra essas almas guerreiras.
Traz um alívio pra quem tenta sobreviver e não ser esquecido.
Faz carinho e dá esperança pra quem já não sabe quem é .
Ahhh!! Nasce menina, nasce!!
Não, não tenha medo não.
Eu te falei das tristezas, mas as alegrias são bem mais.
O teu sorriso vai dar luz pra um mundo inteiro.
Não deixa ninguém apagar ele não, tá?
Nasce menina, toma vida, cresce!
Faz o caminho por você e pelos teus.
Segue adiante com a força de todos nós.
Eu vou rezar por você.
Nasce minha menina, nasce.
Mas aprende já que não vai ser fácil.
E nasce sozinha, que você tem força pra isso.
Sai de dentro de tudo que te aprisiona, da barriga, da roupa, do cabelo, da surra.
Sai do não, da cara de nojo, da mão que não quer no teu corpo.
Sai do inferno de ser presa, nasce menina,nasce!
Mas nasce sozinha, que você tem que ter força pra isso.