terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Coisas que (talvez) você precisa saber sobre o Ano Novo.

Dia 31 de dezembro. Não importa o ano. Sempre há aquela alegria e aquela esperança no ar. É bonito, emocionante. Mas existem certas coisas que precisam ser ditas para você aproveitar essa maravilhosa festividade.

A primeira delas é: o último dia do ano não torna você mais popular. As pessoas ficam comovidas ao ponto de responder qualquer um na rua, de desejar felicidades a todo desconhecido, mas isso não é uma obrigação e não continuará durante o novo ano. Então, se você estiver com o peito cheio de alegria e fizer bons votos pra alguém, não se chateie se for ignorado. Nem todo mundo gosta de falar com estranhos, aliás, aprendemos a vida toda que isso é errado. Se você estiver fazendo compras ou usando algum serviço serviço nesse dia também não exija que a pessoa que estiver te atendendo transborde de esperança. Ela está trabalhando e tem mil coisas pra fazer em casa antes de poder curtir a emoção de constatar que é Reveillon. É interessante lembrar também que nem todas as pessoas da sua agenda telefônica ainda têm seu número, ou tem algum tipo de vínculo real com você, sendo assim, um sms coletivo nem sempre é válido, aliás, nunca.

Agora os votos. Não os da urna, que sobre esses eu nem aconselho mais ninguém. Os votos de felicidade. Uma coisa muito bonita, mas precisamos ser discretos. Desejar que aquela prima solteira arrume um namorado pode ser uma praga pra coitada. E desejar pro seu irmão muito trabalho é dar pra ele um atestado de desocupado. As palavras têm poder e tem significado. Então, não repita aquelas coisas prontas que todo mundo fala e saia falando uma de palavras que vêm estampadas em camisas. Não tem necessidade. Deseje felicidade, cada um sabe o que precisa pra encontrar a sua. Parece genérico e simples, mas é aquilo, menos é mais.

Aí chegamos na virada do ano. Aliás, o jantar da virada. Se você é um abençoado e terá jantar nesse dia vale uma dica que se aplica no Natal: evite temas tensos. Fale de amenidades, mantenha-se sorrindo. Você tem o ano inteiro para debater, mas se quiser fazer isso também no último dia esteja pronto pra ser contrariado, se não estiver, sorria e acene. Se você bebe e fala demais, lembre-se: é fim de ano e não fim do mundo, ainda há amanhã.

Na virada do ano as emoções afloram, mas não precisa ser ridículo, nem desagradável. Estar emocionado, desejar o bem, perdoar, tudo é válido, mas não é obrigatório. Então se uma pessoa próxima a você é mais contida não sacuda a cabeça dela e dê um banho de sidra pra ela "se animar", dá pra ser feliz e tranquilo.

Renovar as esperanças é muito bom, é necessário. Até porque o mundo está uma droga e se a gente não fizer isso não segura a onda. Mas a última e mais importante dica é: tenha o pé no chão. Não vai necessariamente acontecer algo porque o ano mudou. De 31 de dezembro para 1º de janeiro nada irá mudar. Até porque 1º de janeiro é feriado e coisas novas acontecem em dias úteis. Aí você sonhador pensa: então no dia 2 a chapa esquentará. Não amiguinho. Entenda, se você já tem planos definidos como voltar a estudar, novo emprego, casamento, enfim, isso vai acontecer no novo ano porque precisa estar situado cronologicamente em algum espaço, e porque a gente usa esse tipo de calendário. Mas não é o ano novo que vai trazer, você vai fazer no ano novo. Então se você não tem nenhum plano, nada arquitetado, não direcione seus olhinhos para os fogos e espere alguma coisa. Fogos são coisa que explodem e iluminam o céu que está escuro, não anjos milagrosos. Visto isso não se decepcione se no dia 2 tudo estiver muito parecido com o dia 30.

Curta seu ano novo. Mas entenda que ele não é uma figura mitólogica ou milagrosa. É só um novo período de tempo que pode ser palco de novas oportunidades.